Como lidar com os aspectos psicossociais e de saúde mental referentes ao surto do Covid-19

Este documento produzido pelo IASC (International Accounting Standards Committee – Comitê Permanente Interagências) resume as principais considerações em Saúde Mental e Apoio Psicossocial (SMAPS) diante do novo coronavírus. O Comitê tem uma ampla atuação na produção de políticas humanitárias e na divulgação de diretrizes sobre SMAPS diante Emergências Humanitárias e neste, especificamente, da crise sanitária global promovida pela pandemia da COVID-19. As diretrizes recomendam um sistema formado por níveis de apoios complementares e integrados, que vão desde a incorporação de aspectos sociais e culturais nos serviços básicos e redes comunitárias, até o cuidado especializado para indivíduos em condições mais severas. A última atualização do documento foi em 17 de março de 2020.

Só com APS forte o sistema pode ser capaz de achatar a curva de crescimento da pandemia e garantir suficiência de leitos UTI

Só APS forte assegura que o sistema possa achatar a curva de crescimento da pandemia e efetividade de leitos de CTI     Publicamos abaixo um texto preliminar, elaborado por A  Vitória, médica do PSF e pesquisadora de Pelotas, RS, e Gastão Wagner, sanitarista e professor da Unicamp. O texto é um ensaio sobre a necessidade de fortalecer a APS para fazer frente à pandemia do COVID-19, potencializando o suporte hospitalar para os casos graves (10-20% dos casos precisarão de internação, e 5% precisarão de UTI). Embora não seja o tema do texto, este ensaio nos permite também pensar sobre a articulação do cuidado em saúde mental entre APS e CAPS em tempos de pandemia. 

Frente Estamira

Saúde mental: serviços, indivíduos e o corpo social na época do coronavírus

Saúde mental: serviços, indivíduos e o corpo social na época do coronavírus

 Neste texto de fevereiro de 2020, o psiquiatra Roberto Mezzina, que foi da equipe de Basaglia em Trieste, reflete sobre o cenário de devastação da Itália sob a pandemia do Covid-19, e seus impactos sobre a saúde mental. Expressa sua preocupação com o futuro dos serviços territoriais, e os desafios dramáticos para a atenção psicossocial neste momento. Não esqueçam de cuidar de si mesmos, recomenda no final aos trabalhadores da rede.   (Frente Estamira)