Como lidar com os aspectos psicossociais e de saúde mental referentes ao surto do Covid-19

Este documento produzido pelo IASC (International Accounting Standards Committee – Comitê Permanente Interagências) resume as principais considerações em Saúde Mental e Apoio Psicossocial (SMAPS) diante do novo coronavírus. O Comitê tem uma ampla atuação na produção de políticas humanitárias e na divulgação de diretrizes sobre SMAPS diante Emergências Humanitárias e neste, especificamente, da crise sanitária global promovida pela pandemia da COVID-19. As diretrizes recomendam um sistema formado por níveis de apoios complementares e integrados, que vão desde a incorporação de aspectos sociais e culturais nos serviços básicos e redes comunitárias, até o cuidado especializado para indivíduos em condições mais severas. A última atualização do documento foi em 17 de março de 2020.

Só com APS forte o sistema pode ser capaz de achatar a curva de crescimento da pandemia e garantir suficiência de leitos UTI

Só APS forte assegura que o sistema possa achatar a curva de crescimento da pandemia e efetividade de leitos de CTI     Publicamos abaixo um texto preliminar, elaborado por A  Vitória, médica do PSF e pesquisadora de Pelotas, RS, e Gastão Wagner, sanitarista e professor da Unicamp. O texto é um ensaio sobre a necessidade de fortalecer a APS para fazer frente à pandemia do COVID-19, potencializando o suporte hospitalar para os casos graves (10-20% dos casos precisarão de internação, e 5% precisarão de UTI). Embora não seja o tema do texto, este ensaio nos permite também pensar sobre a articulação do cuidado em saúde mental entre APS e CAPS em tempos de pandemia. 

Frente Estamira

Saúde mental: serviços, indivíduos e o corpo social na época do coronavírus

Saúde mental: serviços, indivíduos e o corpo social na época do coronavírus

 Neste texto de fevereiro de 2020, o psiquiatra Roberto Mezzina, que foi da equipe de Basaglia em Trieste, reflete sobre o cenário de devastação da Itália sob a pandemia do Covid-19, e seus impactos sobre a saúde mental. Expressa sua preocupação com o futuro dos serviços territoriais, e os desafios dramáticos para a atenção psicossocial neste momento. Não esqueçam de cuidar de si mesmos, recomenda no final aos trabalhadores da rede.   (Frente Estamira)

Comunicado Importante

Companheiras e companheiros da Frente Estamira de CAPS – Resistência e Invenção. A organização do Primeiro Encontro Regional da Frente Estamira está bastante adiantada em quase todas as 9 regiões do Estado. Isto mostra que estamos conseguindo, coletivamente, construir e sustentar esta estratégia de luta e mobilização em defesa da atenção psicossocial. Entretanto, as informações mais recentes sobre a pandemia do Corona-vírus nos obrigam a repensar nosso planejamento original, e adiar a realização presencial dos encontros no mês de março. A orientação dos órgãos de vigilância sanitária do SUS, seguindo recomendações da OMS e analisando a situação brasileira, é de que se faça um esforço coletivo, de âmbito nacional, sob a liderança do SUS e participação de toda a comunidade, para RETARDAR A DISSEMINAÇÃO DA PANDEMIA em nosso país. Isto implica tomar medidas para diminuir a circulação e contato entre as pessoas, temporariamente, tendo em vista que as formas de disseminação do vírus se dão de pessoa a pessoa, especialmente em aglomerações, e através de contatos interpessoais muito rápidos, como um aperto de mãos. São características desta nova doença do planeta sua disseminação mais rápida e em maior escala do que a gripe comum e epidemias anteriores, como o H1N1. Portanto, a recomendação de limitar atividades presenciais, reduzir a circulação de pessoas, buscar permanecer o maior tempo possível em suas próprias casas, é a medida mais importante para as próximas 3 semanas. A estratégia para lidar com o COVID-19 será atualizada a cada dia, e recomendo que todos se informem, preferencialmente nas páginas oficiais do SUS (secretarias municipais e estaduais e Ministério da Saúde), e em documentos técnicos de órgãos como a FIOCRUZ (vejam o link abaixo). A qualidade e confiança nas informações é essencial, e nós, profissionais de saúde, temos o dever de manter a população adequadamente informada. Pelo que se sabe até o momento, com base nos dados oriundos dos países mais gravemente afetados pela pandemia, como China, Coréia do Sul, Irã e Itália, e em estudos que estão se desenvolvendo intensivamente em todo o mundo, podemos informar à população que: 1) em 80% dos casos, a infecção pelo Corona-vírus produz um quadro semelhante à gripe, com febre, tosse, coriza, com evolução benigna e recuperação muito rápida (2 semanas); 2) entretanto, em 20% dos casos, pode haver uma evolução para problemas respiratórios e pulmonares, necessitando cuidado hospitalar; destes 20%, 5% (do total de casos) são quadros graves, e vão precisar de internação e assistência ventilatória em UTI; por isso, a grande preocupação é acerca da capacidade do nosso sistema de saúde para dar conta de um provável aumento da demanda para internações; 4) todas as pessoas que tiverem um resfriado devem buscar permanecer em casa, tomando medidas de diminuição do contato, até o desaparecimento dos sintomas gripais; se não ocorrer piora do quadro, não há necessidade de buscar os serviços de saúde: caberá ao SUS local e estadual desenvolver mecanismos de monitoramento desses pacientes, com base em protocolos que já vêm sendo elaborados; 5) nós, profissionais de saúde mental, temos uma tarefa decisiva a desenvolver, para lidar com toda a situação de estresse social que uma situação grave como esta provoca na população, além do sofrimento mental dos profissionais de saúde envolvidos no cuidado. Mas sobre isto a Frente Estamira vai buscar construir um debate específico, dialogando com todos os profissionais e pesquisadores da saúde pública, visando produzir uma orientação útil para profissionais, usuários e familiares dos CAPS (nossa tarefa urgente). Finalmente, se estamos sendo obrigados a suspender encontros presenciais, é importante colocarmos nossa criatividade em ação para realizar o Primeiro Encontro da Frente Estamira de forma não-presencial, utilizando os recursos de comunicação à distância (vamos pensando como fazer). Um grande abraço a todas e todos, vamos ficar em contato permanente.

Pedro Gabriel Delgado

Atualização do cadastro de participantes

Prezadas e prezados trabalhadores, familiares, usuários, estudantes e demais interessados do campo da saúde mental. A Frente Estamira de CAPS – Resistência e Invenção, criada em 07/12/2019, na Plenária Final do Encontro de Trabalhadores de CAPS do Estado do Rio de Janeiro, está atualizando seu cadastro de participantes. Caso queira fazer parte deste coletivo em defesa do campo da saúde mental, preencha o pequeno formulário do link abaixo. O momento é de estreitar laços de solidariedade ativa no campo da saúde mental. Para maiores informações sobre a Frente Estamira, visite nossa página (frenteestamira.org). Saudações! Segue o link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSePWZ1seMhLLwK1hrXFeLItSqq80hCJCyHrlwk_2sPVde7gig/viewform?usp=sf_link